Nem bem retornou à cadeira de prefeito e Mardes Monteiro (PT), cargo do qual estava afastado, já apronta das suas em Buerarema. De uma canetada só, reduziu o ano letivo na rede municipal a 170 dias, quando o Ministério da Educação exige o mínimo de 200 dias/aula. Prejuízo para os alunos, lógico.

O comentário na prefeitura é que a decisão do prefeito tem a finalidade de “fazer caixa”. O calendário escolar “encolhido” significa menos gastos com transporte dos alunos, merenda escolar e manutenção dos colégios. Uma sem-vergonhice sem tamanho.

Um adendo: o ano letivo no município terminaria no início da segunda quinzena de janeiro devido a uma sucessão de greves na rede e cerca de 35 dias sem aula.

Mardes é irmão de Naomar Monteiro, professor dos bons e ex-reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), cargo do qual saiu deixando um legado e saudades. Não se poderá dizer o mesmo do prefeito de Buerarema.

Fonte: Pimenta na Muqueca