Fico feliz, em meio aos últimos acontecimentos, por perceber que não estou sozinho, que muitas pessoas ainda se indignam diante de injustiças, perante a violência. Quero externar, aqui, meu agradecimento as palavras de incentivo e apoio que tenho encontrado por meio deste Portal e ainda nas ruas por onde passo.

Infelizmente, nem tudo são flores. Também recebi ameaças, destes que agrediram o senhor, em um ato lastimável aos olhos de todos, que incrédulos diante de tanta selvageria estavam presentes. Prova cabal que estes, assim como agrediram um pobre senhor homossexual, que mendiga em nossas ruas, também pode agredir a qualquer cidadão de bem de nossa comunidade.

Ao selvagem de nome Jonathan Luiz, neto da querida D. Dorê, filho do agricultor João Luiz – pessoas idôneas de nossa cidade – digo que ser homem não é ter nascido com o sexo masculino, mas, um homem se faz com caráter, compaixão pelos seus semelhantes, com dignidade, assim como seu pai. E não por meio de agressões como as suas.

E que o dever do professor não se resume à sala de aula, mas em atos dignos de exemplo, assim como acredito ter feito. Visto que tenho de dar exemplo a meus educandos de como ser um cidadão civilizado.

E ainda, ao individuo chamado Jeferson Bonfim, o qual nem conheço, mas já o tenho como digno de pena, pois ele prefere as ameaças a frequentar um banco de sala de aula para que quando se expresse, faça de forma correta e coerente, e não da forma como foi feita.

E por fim, deixo meu desejo que atitudes como essas não venham mais acontecer em nossa cidade e que aos pais destes, peço que não se calem, exijam posturas diferentes de seus filhos, para o bem de toda sociedade.

Ricardo Neto

Professor

Por E-mail