A Loja Maçônica Fraternidade Rionovense, a Maçonaria Universal tem por princípio a tolerância, o respeito à liberdade e a harmonia entre os cidadãos do mundo inteiro, a partir dos mais humildes e indefesos.

Esse respeito e direito do cidadão estendem-se às entidades, públicas ou particulares. Deus não faz acepção entre as pessoas. Todos são iguais perante a lei e merecem a devida consideração.

Eis por que a Loja Maçônica, de público, lastima e não acha justo o lamentável episódio em que se envolve o irmão Albérico Benjoíno Gavião, médico, de reconhecido conceito moral, estimado por toda a comunidade.

Surpresa a comunidade inteira com o fato, de caráter público, envolvendo o Dr. Albérico, naturalmente, pondo em dúvida sua ilibada moral.

Sofre o nosso irmão, sofre sua família e isso não é justo o silêncio daqueles que conhecem o Dr. Albérico Benjoino Gavião. Além de cidadão de bem, maçom dos mais conceituados, inclusive, por competência e comportamento, exerceu por duas vezes o cargo de Venerável Mestre da nossa sublime Ordem.

Por fim, a Maçonaria, a nossa Loja lamenta o que está ocorrendo num ambiente de tal importância profissional, em prejuízo, inclusive, da própria comunidade.

E, aqui, de público, com o apoio de todos os irmãos da Ordem, a Loja Maçônica Fraternidade Rionovense ratifica o conceito emitido sobre o nosso irmão Dr. Albérico Benjoíno Gavião: maçom, cidadão de dignidade comprovada, correto em seus negócios, médico humanitário. Simples e humilde para com todos que o procuram como médico ou como amigo.

Merece, inclusive pelo tempo entre nós, toda consideração e respeito.

Ipiaú(BA), 12 de novembro de 2010.

A DIRETORIA