Antigamente, ser servidor público era sinal de status, de segurança, de bons salários. Hoje, infelizmente, os tempos são outros. A desvalorização do servidor público baiano é notória e preocupante. O nosso querido governador Jaques Wagner já se posicionou contrário ao PEC 300 (projeto que cria um piso mínimo para policiais no Brasil, e seria no valor em torno de R$ 3,500 mensais), parece que o governo acredita que os homens que arriscam suas vidas em defesa do cidadão não mereça tal quantia.

Assim, também o salário do professor, uma profissão tão importante, mas tão pouco valorizada, inclusive pelo nosso governador, que convocou concurso para categoria com seus vencimentos um pouco mais de R$ 800 reais brutos.

Mas o que chama atenção, é que o Estado do Acre também vai realizar um concurso para professor, entretanto com vencimentos bem maiores que os praticados aqui na Bahia. Lá o professor receberá aproximadamente R$ 1.675,79, ou seja, quase o dobro que os míseros R$ 800 propostos pelo governo baiano.

Contudo, o governo baiano comprou agora um helicóptero R$ 13,6 milhões, para suas viagens. Assim, faltando dinheiro para salários melhores. Tá aí a explicação para tão baixos salários em nosso estado. Como dizem por aí:

“Durma com o barulho desses”

Ricardo Neto

Professor

Por e-mail