O advogado Clébio Fragoso, que reside na Rua Teófilo Coelho, Vila Zara, em Itabuna, entrou em desespero após a chegada da igreja “Nova Revelação” naquele logradouro. Instalado em uma pequena casa, o culto acontece diariamente e, não obstante a presença de apenas meia dúzia de fiéis, é amplificado por um potente microfone, que tirou a paz da vizinhança.

Fragoso, que diz respeitar a liberdade religiosa, tentou conversar com os responsáveis pelo culto, mas deles ouviu que seu louvor é assim mesmo. O jeito foi chamar a polícia, que já esteve no local algumas vezes, mas não conseguiu impedir a barulheira. Segundo o advogado, os fiéis da Nova Revelação já escalaram um olheiro para avisar quando a viatura se aproxima. Aí é só baixar o volume… E aumentar depois que o policiais vão embora.

O advogado passou a ouvir que sua resistência ao culto do barulho é “coisa do capeta”. Sem acordo, ele provocou o Ministério Público e sustenta que sua intenção não é acabar com o culto. “O que se espera é que parem com a gritaria e o uso do microfone”.

A carta encaminhada ao MP tem assinaturas de outros vizinhos, igualmente incomodados com a zuada. Moradores idosos reclamam de que estão tendo problemas de saúde e todos que residem perto da Nova Revelação asseguram que, mesmo com as portas fechadas, o barulho invade as casas.

A reclamação foi protocolada no MP no dia 21 de setembro, mas até o momento não houve resposta.

Fonte: Pimenta na Muqueca