Uma multidão, ainda reunida durante protestos nas ruas do Cairo, reagiu com festa ao seu anúncio, que foi mostrado pela TV estatal.


O presidente do Egito, Hosni Mubarak, anunciou na noite desta terça-feira (1º) que não irá concorrer à reeleição em setembro, depois de oito dias de crescentes protestos populares contra o seu governo, que culminaram em mais de 100 mortes no país. Uma multidão, ainda reunida durante manifestações nas ruas do Cairo, reagiu com festa ao seu anúncio, que foi mostrado pela TV estatal. Mubarak, há 30 anos no poder, afirmou que, no resto do seu quinto mandato, irá ajudar a cumprir as exigências das forças que o desafiam. Ele disse que a prioridade é a “estabilidade da nação” e prometeu dialogar com toda a oposição. O segmento contrário ao governo havia exigido a sua saída imediata para iniciar negociações. Eles ainda não se pronunciaram sobre o discurso do líder egípcio.
Informações do portal G1