Prezado Dr. Paulo Cabral Tavares. Li e o parabenizo pelo artigo sobre o “homem invisivel”. O psicólogo e defensor da tese de mestrado na USP, Fernando Braga Costa, transformou seu estudo em um belo livro “Homens Invisiveis: Relatos de uma Humilhação Social, editado pela Globo. Isto mostra que nós damos muito valor ao status social, ao cargo que a pessoa exerce, e acabamos esquecendo dos simples funcionários que fazem que nós tenhamos um bem estar na nossa cidade, na residência, no trabalho e na escola. Quantas pessoas que exercem trabalhos nas limpezas vivem no ostracimo porque não nos preocupamos em dar um simples bom dia? Nunca devemos esquecer que um motorista derrubou um Presidente da República e um simples caseiro, Francenildo Costa, fez aquele estrago no governo Lula quando depôs acusando o então todo poderoso Ministro da Fazenda, Antonio Palocci, de ter participado de várias reuniões com lobistas e festas com meninas de programas na casa do lobby em Brasilia? Pouca gente sabe que dia 16 de maio é o dia do Gari.

Cordialmente,

Wesley Faustino

Ubatã no Coração

[email protected]