Pelo menos 104 pessoas já morreram em consequência da violência na Líbia desde o início dos protestos contra o governo, na quarta-feira, de acordo com números divulgados neste domingo (20) pela ONG internacional Human Rights Watch.

Segundo a organização de defesa dos direitos humanos, o número inclui pelo menos 20 pessoas mortas no sábado (19) após as forças de segurança terem disparado com armas pesadas contra os manifestantes concentrados em Benghazi, a segunda maior cidade do país.

Milhares de pessoas vêm protestando nos últimos dias no leste do país contra o governo do coronel Muammar Khadafi, no poder há 42 anos.

“Nosso pesquisador na Líbia confirmou pelo menos 104 mortes,” disse Tom Porteous, da HWR, para a agência France Presse por telefone. “É um cenário incompleto porque a comunicação com a Líbia é extremamente difícil”, disse.

O controle do governo sobre as informações e sobre a internet dificulta a confirmação dos relatos das testemunhas em Benghazi.

A Líbia é um dos vários países árabes ou muçulmanos a enfrentar protestos pró-democracia desde os levantes populares que levaram à queda do presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, em janeiro.

Desde então, os protestos populares também forçaram a renúncia do presidente do Egito, Hosni Mubarak, no dia 11 de fevereiro.

Fonte: G1