A paralisação dos professores promoveu um duelo de carros de som na cidade. Enquanto a Prefeitura anunciava que respeitava a APLB estadual, afirmando que a paralisação da APLB ubatense tinha cunho político, o Sindicato assegurava que a luta era apenas em prol da categoria, e que a Prefeitura estava querendo tirar o foco do problema.

O certo mesmo é que não houve aula hoje (21) na Rede Municipal de Ensino de Ubatã. Em discurso na sede da APLB, a diretora do sindicato afirmou que os professores não devem temer o chefe do executivo municipal ou qualquer outra pessoa que queira suprimir os direitos dos docentes.

Em comunicado veiculado em carro de som, o prefeito Edson Neves assegurou que a prefeitura fará o pagamento do terço de férias até o dia 28 de fevereiro, e que a gestão anterior não pagou o 13º salário e o terço de férias aos professores. Esta informação não corresponde à verdade.

A APLB realizará uma nova assembleia na quarta-feira (23), às 17h, para discutir as medidas a serem adotadas.

Redação Ubatã Notícias