“Chorei quando vi meu filho naquele estado”, contou, emocionado, Felicíssimo Costa, sogro da funkeira Verônica Costa. O marido dela, que está no CTI, a acusa de torturá-lo com a ajuda de quatro parentes. Na casa do casal foram encontrados gaze e produtos químicos que teriam sido usados para queimá-lo.
Segundo Costa, depois que o filho fugiu de casa, a ex-vereadora telefonou pedindo que ele não procurasse a polícia. “Recebi uma ligação dela, desesperada, pedindo pelo amor de Deus, para eu não ir à delegacia, que era apenas um desentendimento e não precisava ir à polícia”, lembra.
Ele procurou a delegacia depois de o filho ligar contando que havia sido torturado. “Ele era espancado violentamente. Ele tinha uma cicatriz recente, de um acidente num barco, e estava com 30 pontos. Ela batia repetidamente no ferimento”, diz o sogro de Verônica.
O pai de Márcio Costa afirma ainda que vai processá-la por danos morais após a briga que a ex-vereadora teve com o companheiro em seu apartamento, no Rio. A decisão foi divulgada na quarta-feira (23).
O sogro acusa a “Mãe Loira do funk”, como ela é conhecida, de torturar seu filho por mais de 20 horas, provocando queimaduras de segundo grau em diversas partes do corpo de Márcio. Ele está internado no CTI do Hospital Pasteur, no Méier, na Zona Norte do Rio.
Vítima de queimaduras, Márcio terá que ser submetido a cirurgias plásticas. O G1 procurou a ex-vereadora Verônica Costa, mas ela não atendeu as ligações.

Fonte: G1