Reginaldo Fagundes – Presidente do PT municipal

O redator do UN, Danilo Morais, entrevistou o presidente do PT municipal

Ao longo de três décadas de existência, o PT de Ubatã sempre esteve ligado à defesa dos direitos dos trabalhadores e a movimentos sociais, mas sempre na oposição. Estar, hoje, como situação nas esferas nacional e estadual, é mais desafiador?

Sim, porque o partido tem que apresentar, agora, em formato de trabalho tudo aquilo que era reivindicado e cobrado nos governos anteriores.

Após uma história marcada por lutas, o PT de Ubatã conseguiu eleger um vereador. Que avaliação o partido faz de tal vereador?

A avaliação que a gente faz é que o vereador foi eleito com a sigla do partido (PT). Passada a eleição, este tem mantido pouco contato com o diretório. Sabemos que o mandato é do partido, e o assento é do vereador, mas ele deveria comunicar qualquer ação e decisão ao partido e, no momento, isso não tem acontecido.

Quando o vereador deixa de cumprir com as orientações do partido a que está filiado, pode ser penalizado. Há esta possibilidade no caso de Durval Borges?

Sim, veja bem, o partido pode estar pedindo a sua retratação perante o diretório. Caso ele não corresponda, então, entraremos com um pedido de afastamento deste ou até expulsão.

No pleito eleitoral ocorrido em 2008, o apoio do PT de Ubatã ao PC do B causou um certo estranhamento em algumas pessoas, uma vez que o candidato a prefeito fez aliança com grupos políticos com posicionamentos diferentes daqueles defendidos por líderes petistas. Por que apoiar o PC do B de Ubatã?

A gente apoiou Agilson Muniz por dois motivos: o primeiro – temos uma parceria em nível federal e estadual com o Partido Comunista do Brasil – PC do B. por essa razão, em Ubatã, não seria diferente. O segundo ponto seria – Agilson apresentou várias propostas no período eleitoral condizentes com aquilo que o PT pensa e faz. O governo do ex-presidente Lula, por exemplo, em que podemos pontuar várias questões que beneficiaram o povo: melhoria na oferta de linhas de crédito, democratização do acesso ao ensino superior, melhoria de vida das pessoas mais carentes, etc. Assim também como o governo da Bahia – Jaques Wagner tem mostrado o quanto é preocupado com o povo baiano.

Muitos partidos já se articularam para lançar candidato à prefeitura de Ubatã. O PT já possui nomes para isso? Como estão essas articulações?

Nós temos sempre nos reunido e discutido a possibilidade de apresentar um nome. Temos conversado com Rodrigo Dias, pois sabemos das suas qualidades e temos a tranquila certeza de que a população irá apoiá-lo.

O que o povo ubatense pode esperar pode esperar do PT, pois, atualmente, o partido alcançou um grau elevado de representatividade e elegeu Wagner governador da Bahia e Dilma presidenta do Brasil?

Nessa conjuntura, de termos o governador da Bahia eleito por duas vezes e a presidenta Dilma, há melhores condições de estarmos apresentando propostas de melhoria de vida para o povo dessa terra.

Que avaliação o PT de Ubatã faz da atual gestão municipal?

A avaliação que nós fazemos é que é um governo distante da realidade, e que não está preocupado com o bem-estar do seu povo por vários motivos: andando pelas ruas da cidade ou até mesmo pela cidade inteira, percebemos o total abandono desse governo, a exemplo da iluminação pública. Na rua em que eu moro – Padre Valdir – vários postes estão sem lâmpadas e várias crateras na cidade. Inclusive eu gostaria de informar que o município de Ubatã, nos últimos anos, recebeu vários convênios com contrapartidas pequenas, alguns já estão vencidos e irretornáveis, e outros com curta carência (julho de 2011) como a reforma do Estádio Municipal.

Quem mensagem gostaria de deixar aos leitores do UN?

O meu desejo é que toda a população de Ubatã possa ter acesso à saúde, educação, moradia e tudo aquilo com que sonha o ser humano, que é a felicidade. Quero aproveitar o espaço para parabenizar o companheiro Rodrigo Dias por mais de um ano de vida, celebrado neste último dia 22. Que o Deus da vida possa dar a ele muita inteligência e sabedoria.