O prédio que ilustra esta matéria é o da Escola Antônio Carlos Magalhães, que por mais de 20 anos atendeu a comunidade ubatense, mas hoje está totalmente depredado.

A Escola era primeiramente estadual. Como os municípios passaram a assumir o Ensino Fundamental, a Instituição foi municipalizada há alguns anos. Logo depois, sob a justificativa de reforma, a escola foi fechada.

Anos depois de tal “reforma”, é possível conferi o estado lastimável que se encontra a Escola Antônio Carlos Magalhães, servindo de abrigo para famílias sem-teto, e também ponto de apoio para drogados.

Enquanto o município tem um excelente espaço para funcionamento de uma Instituição de Ensino, a maioria das escolas municipais ubatenses continua funcionando em prédios alugados. Não é um contra-senso?

Redação Ubatã Notícias