Atual ponte sob o rio de Contas em direção a Gongogi, local que outrora fora um distrito que com a construção da usina do Funil ficou debaixo d’ água

Continuando dando dica cultural de autores da nossa região, escrevo sobre o livro “Ponte do Cristal”, (edições Uesb, 2001, ganhador do prêmio Zélia Saldanha, na categoria romance), de Ivan Estevam Ferreira, pai do meu amigo Marcos Ferreira, professor da Uesb, Jequié.

Neste livro, o leitor vai ficar sabendo como os trabalhadores rurais da região da Ponte do Cristal sofreram para fazer a fortuna de seus patrões. Suas viagens pelas estradas do sul da Bahia. As brigas de trabalhadores com jagunços. As escolas de facãozeiros nas fazendas da região de Cachoeira do Pau. As tocaias dos piores jagunços nas estradas, como eles eram tratados nas fazendas, como os coronéis gastavam dinheiro nos tempos das grandes safras.

O autor pesquisou durante trinta anos a luta dos trabalhadores de roças de cacau no sul da Bahia, conversou com trabalhadores, capatazes, jagunços, ex-jagunços, policiais e fazendeiros para realizar o levantamento das informações para escrever este livro.

No prefácio, escreveu Anatólio Henrique Meira Magalhães, “verdadeiras epopéias foram vividas por muitos daqueles que se aventuraram naquele inferno verde que, paulatinamente, foi se transformando, até aparecer ali a primeira muda de cacau, provalvemente advinda das florestas tropicais da Amazônia. Daí por diante, o progresso daquelas terras, até então, esquecidas dos civilizados, pois apenas silvícolas as habitavam, foi vertiginoso”.

É uma obra de não-ficção, apenas pela obviedade o autor resguardou a verdadeira identidade dos personagens. Não deixem de ler!.

Wesley Faustino. Administrador público, pós graduado em gestão ambiental e gestão pública municipal. E-mail: w_ubata@hotmail.com