Lago da Usina de Funil

As baronesas se acumulam no lago da usina de Funil, em Ubatã. Tal lago é bastante extenso, e as plantas vêm ocupando um espaço considerável, sendo difícil até ver um local que não esteja totalmente tomada pela aguapé, como também é conhecida a planta.
A situação de água represada somada ao fato de que o rio tem sido frequentemente e, há muitos anos, poluído pelos dejetos e resíduos despejados no seu leito pela falta de tratamento do esgoto sanitário das cidades ribeirinhas, torna o ambiente propício para a proliferação das chamadas baronesas, sendo que suas raízes finíssimas abrigam microorganismos que filtram a sujeira orgânica da água. Logo, ela atua como um “filtro biológico”.
As baronesas, há alguns anos, tinham suas presenças registradas apenas nos meses de Setembro a Janeiro, quando o rio estava com menor fluxo de água. Porém, recentemente, estas plantas passaram a aumentar demasiadamente, permanecendo o ano inteiro.
Nos próximos dias, a direção do Funil deve abrir uma das comportas da usina, para que as baronesas possam seguir o caminho em direção ao mar.
Redação Ubatã Notícias