Expedito Rigaud

O Ubatã Notícias entrevistou o vice-prefeito da cidade, Expedito Rigaud. Numa entrevista rápida, Rigaud fez breve análise acerca da administração Edson Neves, da gestão Agilson Muniz e sobre o seu papel na atual administração. Vale a pena conferir!

UN – O Senhor é pré-candidato a Prefeito da cidade?

Expedito Rigaud – Sim. Sou pré-candidato, é uma decisão que eu estou tomando agora, pois a sociedade e os amigos estão me procurando, tem feito um apelo para que eu me candidate. Hoje sou filiado ao PSB (40), porém temos também a parceria com o PSDB (45), mas naturalmente formaremos uma coligação para viabilizar o meu nome. Não tenho nenhuma vaidade pessoal, tenho um compromisso com o desenvolvimento do município.

UN – E qual seria a bandeira de um possível governo Expedito Rigaud?

Expedito Rigaud – Na verdade, eu só serei candidato mesmo se realmente houver um grande apoio da população, e este apoio continuar crescendo. A minha bandeira para a cidade seria uma administração diferente, voltada para o desenvolvimento da cidade, pensando num gestor administrando, não fazendo política e preocupado com a reeleição. Seria um gestor que tivesse uma visão trazer progresso para a cidade, melhorar educação, saúde, enfim, fazer parcerias com a iniciativa privada. Uma administração transparente.

UN – Nesta gestão, a cidade já foi administrada por quatro gestores. Como o Senhor analisa esta situação:

Expedito Rigaud – Seria impossível que com toda essa situação, tantos gestores, que a cidade estivesse numa situação boa. Seria fundamental que tivesse um único gestor, com um bom início de mandato e que pudesse dar continuidade. Esperamos que o atual prefeito, Agilson Muniz, possa manter a cidade numa situação um pouco melhor, para que o próximo prefeito não encontre tantas dificuldades.

UN – Como o senhor analisa a administração Edson Neves?

Expedito Rigaud – Na verdade, Edson Neves repetiu os erros da primeira administração. Uma administração conturbada, dividida entre administrar a cidade e os processos na justiça. A prioridade dele era se manter no poder, não cuidar do município. Assim, a cidade viveu um caos.

UN – O governo Agilson Muniz vem recebendo muitas críticas. Há reflexos da gestão Edson Neves?

Expedito Rigaud – Sem dúvida. Quando você assume uma administração, acaba assumindo também os problemas. Agilson ainda está no meio dessa confusão toda, nós ainda estamos analisando a situação, mas eu espero que ele tenha sabedoria, pois o início não está bom.

UN – Comenta-se na cidade que o senhor não foi prestigiado no retorno de Agilson Muniz ao executivo, inclusive não há nenhuma secretaria sob a sua indicação. O que há de fato?

Expedito Rigaud – Na verdade, eu coloquei o meu nome à disposição de Agilson para ajudar, no entanto eu não fui solicitado. Me ofereceram uma secretaria após 12 dias do retorno, mas com muita confusão, muita divisão, mas achei melhor me preservar e preservar minha família. Meu desejo era contribuir e não entrar numa guerra por cargos ou qualquer outra vantagem que pudesse beneficiar a mim ou a meus familiares. O meu interesse é beneficiar o município.

UN – Qual tem sido o papel do vice-prefeito no governo Agilson Muniz?

Expedito Rigaud – Infelizmente, nenhum. Estou aqui à disposição, mas não fui solicitado para nada até o momento, nem mesmo quando o prefeito se ausenta da cidade, ele não passa nenhuma atribuição. Caso seja solicitado, estou aqui para dar a minha contribuição.

UN – A região vai experimentar um clima favorável ao desenvolvimento nos próximos anos. Como Ubatã pode aproveitar isso?

Expedito Rigaud – Ubatã, se não tomamos cuidado, daqui há alguns anos crescerá menos até que Barra do Rocha, que é uma cidade menor. Há uma expectativa de crescimento em diversas cidades da região, e para Ubatã não tem chegado nada. Então o que esperamos é que, nos próximos anos, os gestores consigam atrair investimentos para a região, pequenas indústrias, e que não deixe a cidade ficar para trás.

UN – Obrigado.