Durante sete anos, a empregada doméstica do apartamento em Brasília do agora ministro do Turismo, Pedro Novais (PMDB), 81, recebia seu salário pelo Congresso – o peemedebista era deputado federal. Segundo matéria do jornal Folha de S. Paulo, Doralice Bento de Sousa, 49, era nomeada como secretária parlamentar no gabinete de Novais, função que remunera entre R$1.142 aR$ 2.284 mensais, a depender das gratificações. O pagamento irregular foi feito de2003 a2010.

Segundo a publicação, ela não dava expediente no gabinete de Novais nem no escritório político no Estado de origem, precondições para o uso de verbas parlamentares para pagar assessores. Dora, na verdade, cozinhava, organizava a casa e chefiava a faxina das diaristas.

Dora foi exonerada da Câmara em janeiro deste ano, quando o peemedebista se tornou ministro, mas continuou a receber de forma ilegal. Foi contratada pela Visão Administração e Serviços, que recebe anualmente R$ 1,5 milhão do Turismo para fornecer mão de obra. A prática se constitui crime de enriquecimento ilícito. Se condenado, Novais pode perder o direito de disputar cargos públicos.

Fonte: Bahia Notícias