Climatização da Câmara ficou apenas na promessa

Em fevereiro deste ano, a presidenta da Câmara, a vereadora Cássia Mascarenhas (PMN), assegurou que no mês de março o plenário do legislativo ubatense seria climatizado (ver matéria). Pois bem, quase dez meses após a promessa da edil, a Câmara de Vereadores de Ubatã mais parece uma sauna em altíssima temperatura.

Ontem (17), durante a audiência pública para a escolha da obra prioritária para o município, os presentes sofreram com o calor e falta de ventilação da Câmara de Ubatã. Ao tomar conhecimento da promessa da vereadora, um dos presentes à audiência pública satirizou: “O ar condicionado deve estar vindo de jegue”.

Em fevereiro deste ano a Câmara adquiriu 210 novas cadeiras, mas nada da climatização anunciada. A Prefeitura de Ubatã repassa mensalmente o Duodécimo da Câmara, que é de aproximadamente 86 mil reais, e este dinheiro – frise-se –, só pode ser gasto com despesas do próprio legislativo.

Redação Ubatã Notícias