Ubatense deu entrada hoje no MP

Nesta quarta feira(02), o ubatense Wesley Faustino dará entrada numa representação no Ministério Público(MP) de Ubatã contra a realização da festa da micareta  que está prevista para os dias 18,19 e 20 de maio. Na representação, o denunciante faz diversas considerações sobre o estado crítico em que passa o município, como a falta de pagamento dos imóveis alugados, dívidas com Embasa, Coelba, falta de remédios e equipamentos farmacêuticos e até médicos na rede de saúde municipal.

Na peça, diz que Ubatã está com a maioria das ruas sem calçamento e com esgotos a céu aberto, rodoviária destruída pela falta de cuidado, o mercado das carnes necessita de reforma urgente, o estádio prestes a cair o muro, pois o teto do vestiário já desabou, o cemitério caiu parte do muro nesta semana e a sede da prefeitura teve a energia cortada semana passada por falta de pagamento, além de vários funcionários contratados sem receber seus vencimentos.

“É uma irresponsabilidade do prefeito gastar um valor alto deste com uma festa de três dias, enquanto a cidade e a população padecem”, reclama Wesley Faustino, fazendo questão de explicar a população que não é contra festas, mas sim,  contra gastar uma fortuna desta enquanto a população sofre com a falta de infraestrutura pública. “Só se faz festa com as contas em dia”, enfatiza. Segundo Wesley Faustino informou ao UN, o valor da contratação das bandas também tem indícios de superfaturamento, além da modalidade usada, a inexigibilidade,  deixar dúvidas sobre a lisura do processo.

“Na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o ano de 2012, nas onze prioridades para a cidade, não consta a execução de festas como micareta. Lá está bem claro que o prefeito deve ter austeridade no gasto público. E austeridade é não gastar, só com as bandas,  a quantia de R$ 555 mil reais” com uma festa supérflua, diz Wesley Faustino.

Ver Fotos da Cidade

Redação Ubatã Noticias