Khaled Sheikh Mohamed, em imagem de março de 2003

Após nove anos de prisão e deturpações político-judiciais, o autoproclamado cérebro dos atentados de 11 de setembro de 2001, Khaled Sheikh Mohamed, vai a julgamento este sábado na base de Guantánamo, o que marca o pontapé inicial para um processo muito esperado, informa publicação do G1.

Nove anos após sua detenção no Paquistão, dos quais três em prisão secreta, Mohamed e seus quatro supostos cúmplices são acusados de “serem responsáveis pela preparação e execução dos atentados de 11 de setembro em Nova York, Washington e Shanksville (Pensilvânia), que mataram 2.976 pessoas”, segundo o departamento de Defesa americano.

A etapa decisiva começa mais de dez anos depois dos atentados e coincide com o primeiro aniversário da morte de quem reivindicou sua autoria intelectual, Osama Bin Laden. Mohamed enfrenta a pena de morte ao lado de seus comparsas, o iemenita Ramzi bin al-Chaiba, o paquistanês Ali Abd al-Aziz Ali, conhecido como Mohamed al-Baluchi, e os sauditas Wallid bin Attach e Mustafá al-Hussaui.

Redação Ubatã Notícias