Foto: Carolina Barreto / Tudo FM

Do Bahia Notícias

Apesar de os educadores da rede estadual de ensino já sentirem no bolso os efeitos da greve da categoria, que entrou no 57º dia nesta quarta-feira (6), o secretário estadual de Comunicação, Robinson Almeida, considera que a punição com a manutenção do movimento bate em outra porta: a da família dos estudantes. Em analogia ao fim da mobilização dos docentes das escolas privadas, após garantia de incremento de 7%, e dos rodoviários, com salários elevados em 7,5%, o titular da Secom avalia que já passou da hora de as aulas serem retomadas. “Mais uma vez, fica caracterizada a intransigência da APLB [sindicato que representa a classe].

O que os rodoviários e professores particulares aceitaram o governo já tinha dado antes da greve. O governo já deu 6,5% e 11,5% e garantiu 22% a 26% até abril de 2013 e os professores [estaduais] dão como resposta prolongar o sofrimento dos alunos por mais uma semana. Isso é um descaso com os estudantes e suas famílias”, condenou, em entrevista ao Bahia Notícias. A próxima votação a ser promovida pela APLB, para decidir pela continuidade ou encerramento do movimento grevista, será realizada apenas na próxima terça (12), às 10h, no estacionamento da Assembleia Legislativa. Até lá, mais de 1,2 milhão de jovens seguem fora das classes.