Falta de médico na unidade é algo corriqueiro

No último sábado (09), por volta das 19:30h, um enfarte vitimou fatalmente o ubatense Jucelito Mota Lira, de 57 anos, morador da Fazenda Segurança, zona rural de Ibirapitanga. Jucelito começou a sentir-se mal em sua residência, e acabou sendo encaminhado por familiares ao Hospital Municipal de Ubatã.

O problema é que não havia médico-plantonista na unidade hospitalar, e Jucelito, que não teve acesso aos primeiros socorros, acabou falecendo em direção a Ipiaú. “É muito difícil dizer se o paciente sobreviveria se fosse atendido, mas é um caso grave de negligência”, opinou um médico consultado pelo Ubatã Notícias.

Os familiares, é claro, ficaram revoltados. “Meu tio não merecia passar por isso, se fosse atendido poderia sobreviver. Nossa família toda foi humilhada. Sem dúvida entraremos com uma ação na Justiça e prestaremos queixa da delegacia, pois isso é um crime”, prometeu um sobrinho da vítima, que preferiu não se identificar. Descaso!

DESCASO ATÉ NO ENTERRO

O sofrimento da família de Jucelito Lira passou por mais humilhação e constrangimento neste domingo (10) no enterro do ente querido, isso porque o cemitério local não comporta mais o enterro de pessoas, a vítima foi enterrada com uma cova de três palmos e por cima de outro caixão, segundo familiares e um coveiro em contato com o Ubatã Notícias. Descaso total.

Redação Ubatã Notícias