Foto: Tiago Melo / Bahia Notícias

Do Bahia Notícias

Em assembleia realizada nesta terça-feira (12), os professores estaduais decidiram mais uma vez por unanimidade manter a greve. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Rui Oliveira, apresentou a contraproposta do comando de greve, que mantém a reivindicação de reajuste salarial de 22% e pede a revogação da Lei 12.578.

Segundo explicou ao Bahia Notícias a diretora da APLB Marilene Betros, a entidade aceita o parcelamento do valor, desde que seja pago até o final do ano. “Queremos também que o reajuste contemple todos os segmentos da categoria, como pensionistas e aposentados. A Lei 12.578 transforma os salários em subsídios, retirando vantagens históricas da categoria”, protestou.

Além da contraproposta, também foi apresentado um calendário de atividades do movimento grevista até o início da próxima semana. De acordo com a programação, ainda esta manhã um grupo de docentes seguirá em passeata até a Secretaria de Educação do Estado, também localizada no Centro Administrativo da Bahia (CAB).