Foto: Tiago Melo / Bahia Notícias

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) entrará nesta segunda-feira (18) com um agravo regimental no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que suspendeu o pagamento dos salários dos professores da rede estadual, em greve há 68 dias. Segundo a diretora do departamento jurídico da APLB, Marilene Betros, a entidade sindical formalizará o recurso ainda nesta segunda, amparada na liminar expedida pela desembargadora Lícia Laranjeira, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

A batalha judicial entre o governo do Estado e os professores teve início depois da determinação do juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública de Salvador, Ricardo D’ Ávila, que declarou a ilegalidade do movimento e o corte de salários. A categoria se reúne nesta terça (19), no estacionamento da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) para avaliar os rumos do movimento no estado e decidir se a paralisação continua.