Não ficou um centavo nas contas da Prefeitura de Ubatã

A prefeita interina de Ubatã, Cássia Mascarenhas (PMN), recebeu um presente de grego nesta quarta-feira (20) ao assumir oficialmente o comando do executivo municipal. Toda a verba que deveria estar disponível nas contas da Prefeitura – no Banco do Brasil – foi movimentada ontem (19) à noite e no final da manhã de hoje (20).

Mascarenhas acusa o prefeito afastado, Edson Neves (PSD), de ter movimentado ilegalmente a verba do município. “Rasparam o tacho, não ficou nenhum centavo nas contas do município, nem para o pagamento do funcionalismo e tampouco para o repasse do duodécimo da Câmara. A movimentação é ilegal”, disse a prefeita.

Somada toda a movimentação, o valor ultrapassa meio milhão de reais, garantiu Mascarenhas. A Prefeitura de Ubatã ainda não pagou cerca de 20% da folha salarial do município referente ao mês de maio. Com isso, o executivo, que já vinha pagando no dia 10 de cada mês, possivelmente não terá verba para pagar, em dia, os salários dos servidores públicos municipais. Dureza!

COELBA SORRINDO NESTA QUARTA-FEIRA

A Prefeitura de Ubatã, que deve mais de R$ 300mil em contas de energia à Coelba, amortizou nesta terça-feira (19), após o TJ-BA defenestrar o prefeito Edson Neves (PSD) do cargo, parte da dívida com a empresa. A dívida paga foi da ordem de R$ 45mil. O setor jurídico da gestão Mascarenhas afirma que o pagamento ocorreu para raspar o tacho das contas da PMU e inviabilizar a atual gestão.

BOLSA NACIONAL DO LIVRO RECEBEU MAIS DE R$ 100MIL

À Empresa Bolsa Nacional do livro, que já abocanhou mais de R$ 1,8milhão do município em contratos licitados para aquisição de livros paradidáticos, a prefeitura de Ubatã pagou, nesta terça-feira (19), após o afastamento do prefeito Edson Neves (PSD), a quantia de R$ 106mil reais.

JURÍDICO DA PREFEITURA AFIRMA QUE VAI AGIR

Segundo o setor Jurídico da Prefeitura, os fatos (movimentação nas contas) serão comunicados à Superintendência do Banco do Brasil, Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Ministério Público e Vara da Fazenda Pública da Comarca de Ubatã. Ainda de acordo com o jurídico, causa estranheza o fato de o banco, mesmo ciente da decisão do TJ-BA, autorizar as movimentações por parte do ex-gestor nas contas da Prefeitura de Ubatã.

Redação Ubatã Notícias