Elize Matsunaga foi presa por matar o marido

Da Folha de São Paulo

O desembargador Francisco Menin, da 7ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, negou o pedido de habeas corpus feito pela defesa de Elize Matsunaga, de 30 anos, que confessou ter matado o marido, o empresário Marcos Matsunaga, 42. O mérito do pedido ainda será julgado. A defesa de Elize já havia entrado com um pedido de liberdade no último dia 11, que também foi negado pela Justiça. Ela está presa desde o dia 4 de junho e confessou a autoria do assassinato e afirmou que o cometeu por ter descoberto que o marido a traía.

A promotoria acredita que o crime foi premeditado e praticado para que a ré recebesse o seguro de vida do marido, de R$ 600 mil. Segundo o órgão, Elize teria tentado convencer os sogros de que Marcos tinha saído de casa porque tinha outra mulher. Ela está presa no Complexo Penitenciário de Tremembé (138 km de SP) e é acusada de homicídio doloso triplamente qualificado por motivo torpe, recurso que dificultou a defesa da vítima e meio cruel e ocultação de cadáver.