Deputado José de Arimatéia (PRB)

O Ubatã Notícias entrevistou, na última quinta-feira (28), o deputado estadual José de Arimatéia (PRB), que é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus. Na entrevista, o parlamentar, que teve pouco mais de 56 mil votos nas últimas eleições, fala sobre o seu partido, sobre a sucessão municipal em Ubatã e Ibirapitanga, a condução da greve pelo governo Jaques Wagner e muito mais. Confira.

UN – Deputado, qual é o tamanho do PRB hoje na Bahia?

JA – O PRB está completando sete anos de fundação e nós já temos setenta e nove vereadores, dois prefeitos, três vice-prefeitos, dois deputados federais e dois deputados estaduais. Nesta eleição agora vamos aumentar consideravelmente a representação do PRB, até porque teremos mais de dois mil pré-candidatos. Na capital, inclusive, teremos o deputado estadual Márcio Marinho como pré-candidato à prefeitura de Salvador.

UN – Qual será o papel do deputado José de Arimatéia na campanha em Ubatã, que tem Guiormando Tavares como pré-candidato a prefeito?

JA – Estamos aqui para dar o nosso apoio a pré-candidatura de Guiormando, que sabemos que é uma pessoa direita, que é um homem de respeito e que acredita que Ubatã pode e deve melhorar. Vamos estar com o governador Jaques Wagner e com o nosso ministro Marcelo Crivela para, com o apoio de todos, conseguir esta vitória na cidade.

UN – E como será o apoio do PRB e do deputado em Ibirapitanga?

JA – Nós temos aqui em Ibirapitanga esta nova liderança que vem desde o seu pai Ailton, que foi vereador, e agora o Pequeno, que vai representar o povo muito bem na Câmara de Ibirapitanga. Nós temos um pensamento de ajudar. Acho que vamos compor na majoritária e o presidente do partido é quem vai definir. Espero que o PRB faça parte do governo.

UN – Deputado, o seu partido é da base do governo. Como o senhor analisa a condução da greve pelo governador Jaques Wagner?

JA – Veja bem, podem observar que as greves só acontecem às vésperas do pleito eleitoral. Eu acho que não podemos misturar. Particularmente, acho que não é o momento oportuno para deflagrar a greve por causa da rivalidade [política], pois isso não é bom para a democracia. Como o governador Jaques Wagner já disse, não há como conceder aumento neste momento porque infligirá a lei. Mas como estamos às vésperas de votar o orçamento para 2013, é hora de sentar à mesa para negociar.

UN – Deputado, Ubatã experimentou dez trocas no comando do executivo municipal em pouco mais de três anos. Como o senhor analisa esta situação?

JA – Essas mudanças são extremamente prejudiciais na medida em que os projetos não podem ser tocados. Esta instabilidade fez com que a cidade se estagnasse nos últimos anos. A realidade de Ubatã tem chamado a atenção em todo o estado, e isso  prejudica o desenvolvimento do município.

Continuar Lendo