Edital traz Marco Brito se passando pelo pai, , já falecido

Do Pimenta na Muqueca

O prefeito de Itororó, Adroaldo Almeida (PT), talvez vá para a disputa eleitoral tendo “ninguém” contra si. O ex-aliado Marco Brito (PMDB) pediu registro de candidatura em nome do pai, Henrique Brito Filho, falecido em acidente aéreo que também matou o candidato a governador Clériston Andrade, em 1982.

O petista não comeu a farofa oferecida por Marco Brito à Justiça Eleitoral. Adroaldo acredita que o “erro” seja uma estratégia de Brito para ganhar tempo, poder se livrar da pecha de “ficha-suja” (livrando-se do período de impugnações) e ganhar condições para disputar o pleito de outubro.  O ex-prefeito teve as contas de 2006 e 2008 rejeitadas tanto pelo Tribunal de Contas dos Municípios como pela Câmara de Vereadores.

– O absurdo é ser (este) um ardil do seu filho, Marco Brito, para fugir, supostamente, do período de impugnações – disse Adroaldo. No edital de pedido de registro, o candidato do PMDB é Henrique Brito Filho, tendo como “opção de nome” Marco Brito. A estratégia também pode ser configurada como crime eleitoral e falsidade ideológica. O edital 004/2012 foi publicado pelo juiz Rojas Sanches Junqueira.