Foto: David Mendes / Bahia Notícias

Do Bahia Notícias

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Rui Oliveira, criticou a decisão do chefe do Legislativo baiano, deputado Marcelo Nilo (PDT), de solicitar a reintegração de posse da Assembleia. O dirigente sindical convocou os professores da rede estadual a irem “em peso” para a AL-BA e prometeu não ceder ao corte de água, luz e telefone. “É lamentável a atitude do presidente da AL-BA que, em vez de cuidar do Poder Legislativo, quer se intrometer no Poder Executivo. Se a categoria estiver unida, a luta continua e a greve continua.

Nós vamos resistir, custe o que custar. Vamos resistir e ver onde vai dar”, apostou Oliveira. O comando de greve se reunirá às 18h30, mesmo que não haja energia elétrica, para discutir a determinação de retirada do movimento da Casa. O procurador Graciliano Bonfim deu entrada no pedido de desocupação no TJ e quem julgará o mérito da ação é o desembargador Ruy Eduardo Brito, da 6ª Vara da Fazenda. O resultado deve sair até o final da semana. A categoria está na AL-BA desde o último dia 18 de abril, sete dias após o movimento, que já dura 97 dias, ser iniciado.