Imagem ilustrativa.

Do Bahia Notícias

O Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) pediu, em regime de extrema urgência, a interdição total da cadeia pública do município de Ituberá, região do baixo-sul da Bahia. O promotor de Justiça Marco Aurélio Nascimento Amado pediu a interdição devido às péssimas condições do local para custodiar os presos em situação provisória. O MP afirma que o imóvel “não reúne as condições mínimas necessárias ao seu regular funcionamento” e afirma que o funcionamento da cadeia “não é só um desrespeito à dignidade da pessoa, bem como um perigo para toda a coletividade, em especial pela condição de amedrontamento que se encontra a população com a possibilidade de novas fugas”.

De acordo com o MP, o promotor de Justiça visitou inúmeras vezes a prisão e que os peritos da Polícia Técnica de Valença constataram que as celas são insalubres, tem mau cheiro, infiltrações, umidade nas paredes, que as instalações elétricas são uma grande preocupação e há presença de cupim e risco de desabamento. Além disso, os dormitórios são improvisados e a segurança individual é comprometida. A cadeia foi construída para funcionar como presídio, mas abrigou por um tempo a delegacia de polícia. A cadeia depois voltou a atividade com a ampliação do número de celas.