Lixo é encontrado em diversas ruas da cidade (Foto: Vinícius Machado/UN)

O serviço de coleta de lixo de Ubatã está paralisado desde esta segunda-feira (23), isso porque os garis, que fazem a varrição das ruas, cruzaram os braços reivindicando salários atrasados. A gestão Cássia Mascarenhas (PMN) também não repassou o pagamento à empresa responsável pela coleta.

O resultado da confusão é que o lixo toma conta da cidade. Para completar o quadro, os garis protestaram nesta terça-feira (24) na Avenida Landulfo Alves, isso porque o executivo municipal contratou servidores para regularizar a coleta. “Para contratar tem dinheiro e para pagar o nosso salário, não”, reclamou um gari.

Houve um princípio de confusão, e a PM foi chamada para acalmar os ânimos. Os garis queriam pressionar os servidores contratados a não realizarem a coleta como forma de protesto. Após negociação com a PM, os servidores desistiram da empreitada e seguiram em caminhada de protesto por algumas ruas da cidade.

FOGO AMIGO DA ASSESSORIA DA PREFEITA

A Assessoria de Imprensa da prefeita Cássia Mascarenhas afirmou, em nota, que não se pode consertar 10 anos de dívidas e de caos político em 30 dias, período em que ela assumiu o comando do executivo. Querendo ou não, a Assessoria da Alcaide deu uma alfineta na candidata Rosana Magalhães (PTB), cujo seu marido, o ex-prefeito Dai da Caixa (PTB), administrou o município em 06 dos 10 anos de caos citados pela prefeita. Mais curioso ainda é que a gestão Cássia Mascarenhas já declarou apoio à candidatura de Rosana. Fogo amigo na candidatura petebista.

Ver mais Fotos

Redação Ubatã Notícias