Juros são elevados e ultrapassam 10% mês

Do Tribuna da Bahia

Em alguns casos, compra de R$ 10 feita no cartão de crédito que não for paga pelo consumidor pode se transformar em uma dívida de R$ 45 mil em apenas cinco anos. O Brasil sempre foi pródigo em criar jabuticabas financeiras, aquelas situações econômicas que beiram o surrealismo e ninguém consegue entender muito bem por que só acontecem por aqui.

Dono de um vasto repertório, como o overnight nos tempos de inflação galopante ou as atuais Letras Financeiras do Tesouro, o Brasil está agora novamente diante de um aparente paradoxo econômico. Enquanto a taxa básica de juros, a Selic, que serve de referência para todo o mercado, cai para os menores níveis da história brasileira, as taxas cobradas pelos cartões de crédito não só se mantêm em três dígitos ao ano como, em alguns casos, chegam, até, a subir.