Suspeitou-se, à época, que um corpo encontrado em Ubatã já em estado de decomposição fosse da engenheira Marleide

Acusado de matar a engenheira ambiental Marleide Oliveira Junqueira, Antônio Luis de Jesus foi condenado a 23 anos de prisão na noite desta quarta-feira (29), em julgamento no Fórum Ruy Barbosa. Ele já estava detido na Unidade Especial Disciplinar (UED), no Complexo da Mata Escura. O Ministério Público havia indiciado Antônio pelos crimes de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima, e ocultação de cadáver.

Todas as denúncias foram aceitas pelo Tribunal do Júri. Marleide desapareceu no dia 21 de agosto de 2010 e sua ossada foi encontrada apenas um ano depois em um matagal na Ilha de Itaparica. Quando desapareceu, ela disse, ao sair de casa, que encontraria Antônio, seu namorado na época. O suspeito foi preso um mês depois, ao se apresentar na delegacia sem saber que havia um mandado contra ele. De acordo com o Tribunal de Justiça, a defesa de Antônio já recorreu da decisão.