Senadora Lídice da Matta sendo entrevistada pelo Ubatã Notícias

O Ubatã Notícias entrevistou, no último domingo (16), a Senadora Lídice da Matta, que já foi prefeita e vereadora de Salvador, deputada estadual e federal e é, sem dúvida, uma das maiores lideranças políticas da Bahia. Na entrevista exclusiva, a senadora falou sobre a bandeira de seu partido, o PSB, sobre o apoio a Expedito Rigaud (PSB), sobre a participação da mulher na política e muito mais. Confira.

UN – Senadora, o PSB é um dos partidos que mais cresce hoje no país, inclusive cogita-se a hipótese de o governador de Pernambuco concorrer às eleições presidências. Qual é o tamanho do PSB e qual a principal bandeira do partido?

LM – O PSB tem hoje seis governadores, mais de duas centenas de prefeitos, diversos deputados estaduais e federais. Nós temos várias bandeiras, mas gosto sempre de enfatizar que o zelo e a transparência com o dinheiro público devem nortear o nosso partido, que se notabilizou também por ter um olhar sensível para o povo e as principais causas sociais.

UN – A sua vinda a Ubatã significa o apoio incondicional à candidatura de Expedito Rigaud?

LM – Sim. Sem dúvida. Eu sou a presidente regional do PSB, e Expedito é o nosso candidato aqui em Ubatã. Tem o nosso apoio, o nosso acompanhamento na campanha, nossa torcida e a nossa disposição de ajudá-lo a ganhar e a governar.

UN – Ubatã tem experimentado gestões desastrosas nas últimas duas décadas. Neste mandato, por exemplo, já houve 11 trocas no comando do executivo. A senhora conhece a realidade do município?

LM – Conheço um pouco, mas não o suficiente. Tenho a convicção de que Expedito representa a possibilidade de sair dessas candidaturas que são mais do mesmo. Vamos para uma candidatura que inove de fato. Já tivemos uma tentativa de inovar essa gestão, onde ele também tentou participar, mas na condição de vice. Agora é ele próprio o candidato. Aí sim, com sua história, com sua determinação, com sua vida pessoal de compromisso a população, Expedito vai poder fazer mais e melhor.

UN – Qual o simbolismo carrega o fato de a senhora ser a primeira senadora da história da Bahia?

LM – O simbolismo é o de que a mulher pode e deve participar da política. O simbolismo de que nós saímos do século XX com o destino de deixar de ser invisíveis. No século XX, nós marcamos a trajetória, as mulheres brasileiras e no mundo, pela luta por nossos direitos. Luta pelo direito do voto, luta pelo direito de estudar, de sair de casa para trabalhar e, assim, participar da economia de nossas sociedades. Hoje fazemos tudo isso. Precisamos transformar a política com a participação da mulher, simbolizando uma sociedade democrática, onde haja igualdade de oportunidades entre homens e mulheres. Então, a minha presença no Senado é a reafirmação de que o povo brasileiro, no caso o povo baiano, tem disposição de realizar este projeto. Estou aqui com a deputada Maria del Carmem, que representa isso para o povo baiano na Assembleia Legislativa. E a presidente Dilma, que é o exemplo maior, que impulsiona ainda mais esta nossa trajetória de luta, porque ela é a prova que uma mulher pode governar um país da dimensão do Brasil, implementando políticas públicas de inclusão social.

UN – Um dos principais adversários de Expedito Rigaud em Ubatã é uma mulher, a candidata Rosana Magalhães, cujo um dos slogan de campanha diz “É a vez da mulher”. Que análise a senhora faz disso?

LM – Veja bem, não basta ser mulher. É preciso ter história, ter serviços prestados. Não adianta termos a Maria que é esposa de João, a Maria que é prima de Mateus, a Maria que é irmã de Tereza. É preciso ter identidade. Mesmo sendo mulher, há mulheres em que eu certamente não votaria. Eu votaria em Maria del Carmem, assim como votei na presidente Dilma. Não é apenas uma questão de gênero. Para merecer o voto, não basta ser mulher, é preciso ter história.

UN – Senadora, qual análise a senhora faz dos governos Jaques Wagner e Dilma Roussef?

LM – Jaques Wagner é um governador que primeiro libertou a Bahia de um julgo, de um domínio de muito tempo de uma oligarquia. O governador recebe prefeitos de todas as cidades, de todas as legendas, independente de ter votado nele ou não. É o governo que fez o Água para Todos, reconhecido em todo o país e transformado em Programa Nacional. Implementou ainda o Saúde em Movimento. Tem [o governo] avançado em políticas públicas. Além disso, foram construídos diversos hospitais, rodovias, ações na educação profissional. Já o governo da presidenta Dilma não é apenas uma referência no país, mas uma referência mundial de transparência, zelo com o dinheiro público, maciços investimentos em saúde, educação, cultura, infraestrutura e tolerância zero com a corrupção.

UN – Considerações Finais.

LM – Ao chegar nesta cidade percebi uma atmosfera totalmente especial e favorável a Expedito. Vim aqui para dar o meu apoio a ele. Expedito não tem apenas o meu apoio, mas também do governador Jaques Wagner e da presidente Dilma. Não tenho dúvidas que será um grande prefeito.