Maria del Carmem fala ao Ubatã Notícias

O Ubatã Notícias entrevistou a deputada estadual Maria del Carmem (PT). A petista, que já assumiu pastas importantes no governo da Bahia e foi vereadora de Salvador, falou sobre o seu apoio nas eleições municipais, o papel da mulher na política, sobre o governo Jaques Wagner e muito mais. Confira.

UN – Deputada, a senhora não foi a votada no município, mas foi a única a trazer obras, a exemplo da reforma da quadra do Colégio Estadual e construção do auditório, além de indicar a reforma do Complexo Policial. Como a senhora analisa essa situação?

MC – Isso é fruto do compromisso com os companheiros que estiveram conosco durante todo este processo e que nos acompanham e ao deputado Nelson Pelegrino há muitos anos. Então, isso cria uma relação profunda com esta cidade e faz com que a gente faça aquilo que é possível para trazer obras para o município. Ubatã é uma cidade que precisa desta intervenção, pois nas últimas administrações tem sido extremamente complicadas e difíceis e nós precisamos mudar esta realidade.

UN – Deputada, a sua vinda a Ubatã significa o seu apoio incondicional a candidatura de Expedito Rigaud?

MC – Com certeza. Viemos aqui hoje para reafirmar aquilo que a gente já havia dito anteriormente, que o nosso compromisso do Partido dos Trabalhadores com Expedito. Eu não tenho dúvidas que Expedito é o melhor para Ubatã, pois ele é sério, comprometido e com certeza vai implantar em Ubatã as políticas públicas que deram certo no Brasil e na Bahia. Portanto, acho que chegou o momento de Ubatã trilhar outro caminho, e este caminho é o do 40 e dos partidos aliados.

UN – Deputada, qual análise a senhora faz do atual papel da mulher na política?

MC – Veja bem, nós ainda somos em número ainda bem insignificante para a nossa presença na sociedade. Representamos mais de 50% da população, e não temos a mesma proporção do ponto de vista das mulheres na política. Na Assembleia Legislativa temos dessa vez a maior bancada de mulheres da história, independente dos partidos políticos, mas ainda significa 20% do quantitativo de deputados que temos. Então, este é o início de uma luta. Precisamos mobilizar mais mulheres para participar da política, pois mostramos, em nível de Brasil com a eleição da presidenta Dilma que as mulheres podem governar este país, que podem exercer as funções enquanto presidente, governadoras, senadoras, prefeitas, vereadores e o que seja. Mas é evidente que as mulheres têm mais dificuldades que os homens de fazer a política, as mulheres têm mais dificuldades de avançar no processo da negociação, pois é tudo sempre mais fácil para os homens, mas isso faz parte do processo da luta. Ninguém abre mão de poder, e poder a gente conquista

UN – Deputada, o discurso de que é a vez da mulher embasa a candidatura da adversária de Expedito, Rosana Magalhães. Qual análise a senhora faz sobre isso?

MC – Nós falamos de mulheres, mas não é qualquer mulher. O que nos leva a observar que haja mulheres comprometidas com o processo de transformação social. Não queremos mulheres apenas por que somos a mulher de alguém, por que somos a irmã de alguém, queremos mulheres que tenham compromisso com a história, com a história da mudança, com a história da transformação. Há um número expressivo de mulheres que eu enquanto mulher não votaria, não daria meu voto. Agora, eu dou o meu voto para Lídice da Matta, eu dou o meu voto para Dilma, como dei e dou o meu voto para muitas outras mulheres. Mas não basta ser mulher. É importante ter mulheres no processo da decisão, é importante ter mulheres em cargos de comando, porque isso avança, faz com que a sociedade possa se relacionar de outra forma, mas volto a dizer, não basta ser mulher.

UN – Deputada, o que a senhora espera das eleições municipais de Ubatã no próximo mês?

MC – Espero a vitória de Expedito. Penso que é chegado o momento de Ubatã despertar. A população precisa ter consciência do que vem acontecendo neste município. Ubatã não aproveitou a janela de oportunidades que o governo do presidente Lula e agora da presidenta Dilma estão dando para a maioria dos municípios brasileiros. São os municípios avançando, se transformando, tendo investimentos. Ubatã está localizada onde está uma das maiores obras do governo Federal, que é a Ferrovia de Integração Oeste Leste, a Fiol. Isso trará para esta região enorme desenvolvimento. São indústrias que chegam, são plataformas logísticas que virão para esta região, serão descobertos novos minérios. Então, Ubatã tem de aproveitar este instante, mas para isso ela precisará de uma administração competente e comprometida, e eu só vejo um nome em Ubatã para fazer esse papel, e este nome é o de Expedito.

UN – Deputada, qual a análise a senhora faz do governo Jaques Wagner?

MC – O governador Jaques Wagner tem transformado a Bahia. Reformou as estradas e são mais de 6 mil quilômetros de rodovias construídas ou recuperadas. São mais de 100 mil unidade habitacionais construídas no projeto Minha Casa Minha Vida. A Bahia bateu recorde na captação de recursos. São avanços em todas as áreas. São 5 novas universidades. Isto é a demonstração clara da enorme transformação que o governador Jaques Wagner está fazendo. Não adianta concentrar investimentos em Salvador e na região metropolitana, isso não foi bom nem para a própria região e nem para o interior. O que precisamos é criar um novo modelo, e é este que o governador está implantando, que é o de descentralizar os investimentos, descentralizar a economia, para que outras regiões do estado possam se desenvolver e, com isso, redistribuir melhor a riqueza. Acredito que o governador faz uma excelente administração e ainda temos mais dois anos aí pela frente para a promoção de ainda mais avanços.