A candidata Rosana Magalhães (PTB) quer transformar o episódio de um “gato” de energia instalado em seu comitê em uma questão político-partidária. Em entrevista a um blog local, a candidata afirmou que a notícia veiculada trata-se de perseguição política orquestrada pelos adversários contra a sua candidatura.

A candidata quis desmerecer a FM Ubatã, a Rádio Povo e o Ubatã Notícias. De sobra, a candidata ainda alcançou o Pr. da Igreja, que em entrevista a Rádio Povo confirmou que a entidade foi lesada e que, ao contrário do que disse a candidata, não apenas gambiarras estavam ligadas no gato, mas todo o comitê.

“Além da FM Ubatã, Rádio Povo e Ubatã Notícias, estaria também um Pastor Evangélico mentindo, faltando com a verdade?”, ironizou um dos redatores do UN. Em tempo, o Ubatã Notícias não afirmou ou deixou subentendido que a candidata tinha conhecimento ou teria autorizado a instalação do “felino”. Desde já está dado o espaço irrestrito para que a candidata se defenda aqui no UN.

Redação Ubatã Notícias