Kaká e Oscar comemoram um dos gols da seleção brasileira (Foto: AFP)

Do Globo Esporte

Se no começo de carreira Oscar era chamado de “novo Kaká”, nesta quinta-feira, o meia do Chelsea provou mais uma vez que correspondeu às expectativas e criou identidade própria. Abençoado pelo craque do Real Madrid como camisa 10 da Seleção, o garoto comandou o Brasil na goleada por 6 a 0 sobre o Iraque, no estádio Swedbank, em Malmo, na Suécia. Ele (2), Kaká, Hulk, Neymar e Lucas marcaram.

Muito embora tenha tido uma atuação destacada, comprovando seu bom momento com Mano Menezes e também no futebol inglês, Oscar contou com a ajuda do seu mestre. Kaká, de volta à seleção brasileira depois de mais de dois anos, deu suas arrancadas, participou de gol e deixou a sua marca. Aliás, o grupo todo comemorou com o meia do Real Madrid, em abraço coletivo

Ao ser substituído por Lucas no segundo tempo, Kaká teve o que mereceu: aplausos. Os mesmos que foram direcionados a Neymar pouco depois. O craque do Santos fez um golaço. Na partida desta quinta-feira, porém, o atacante teve uma atuação muito mais cerebral, de criar, pensar o jogo, buscar a bola, do que de atacar com veemência, partindo para o drible. Resultado: participou bem como “armador”.