Gleide obteve 271 votos, quantidade insuficiente para garantir uma vaga na Câmara mesmo se tiver o recurso deferido pelo TSE

Finalizada as eleições municipais do último domingo (07), todos os candidatos que concorreram ao pleito com algum recurso não tiveram os votos contabilizados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a exemplo do ex-prefeito de Ubatã Gleide Santana (PMN), que neste ano concorreu a uma vaga no legislativo ubatense.

Como o recurso ajuizado pelo ex-prefeito ainda não havia sido julgado pelo TSE, havia a dúvida de que a votação conseguida pelo ex-gestor seria capaz, caso deferido o recurso, de tirar a vaga de um dos vereadores eleitos no pleito do último domingo. Divulgada a quantidade de votos do ex-gestor, a dúvida desapareceu.

Gleide Santana obteve 271 votos. O último de sua coligação a se eleger foi Juliano Silva (PPS), que obteve 286 votos. Portanto, ainda que Santana tenha o recurso deferido, ele não assumirá uma vaga na Câmara. O ex-gestor teve a candidatura indeferida pelo TRE-BA por manter relação estável com a prefeita em exercício Cássia Mascarenhas (PMN), situação vedada pela Legislação Eleitoral.

Redação Ubatã Notícias