Sepulveda Pertence foi presidente do Supremo Tribunal Federal

Do Bahia Notícias

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência, Sepúlveda Pertence, 75 anos, disse que as condenações do mensalão não contribuirão de forma efetiva para o fim da corrupção. Segundo ele, o modelo de presidencialismo de coalizão junto com a sofisticação dos crimes de colarinho branco são fatores que continuarão a dar brecha para que esse tipo de delito continue acontecendo. “Não creio que isso vá transformar a história do Brasil. O que se passa para o leitor de jornal, o telespectador ou o leitor de revistas é que é histórico porque se está condenando. Mas isso é relativo.” No entanto, ele reconheceu que “não é rotineiro no Brasil” um julgamento como o do STF. “Há um dado positivo.

O mecanismo judiciário funcionou.” As informações são da Folha.  Quando ainda era membro do STF, no início da década de 90, Pertence foi voto vencido quando defendeu a condenação do ex-presidente Fernando Collor, que sofreu impeachment. Segundo o Terra, o ex-presidente diz que o julgamento “não inibirá a imaginação criadora do crime sofisticado de buscar outras formas”.Para ele, a solução é uma “reforma política corajosa”. Ainda de acordo com o site, Pertence é amigo de alguns petistas condenados no julgamento do mensalão, como o ex-presidente do PT José Genoino. Por essa razão, não quis emitir opinião sobre casos específicos do processo.