Audiência
Ubatã FM
Publicidade






Ubatã: Desembargador torna nula decisão que retornou Neves e Cássia deve retornar

Cássia Mascarenhas deve assumir novamente o executivo

O Desembargador Clésio Rômulo Carrilho Rosa, do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), tornou nula, nesta quinta-feira (1º), a decisão tomada no último dia 29 de outubro pelo próprio Rosa que oficializava o pedido de desistência da Câmara de Vereadores de Ubatã. A decisão tornou possível o retorno de Edson Neves ao comando do executivo após passar pouco mais de 30 dias afastado.

Na decisão, o Desembargador observa que antes da publicação que homologou a desistência do feito, foi acostado aos autos petição da Câmara Municipal requerente, noticiando a constituição de novos patronos e pugnando expressamente pelo deferimento de qualquer pedido formulado pelos anteriores patronos da edilidade, ou seja, pela então presidente da Casa, Cássia Mascarenhas (PMN).

Ainda na sentença, o Desembargador solicitou a expedição de ofícios ao Tribunal de Contas dos Municípios, Banco do Brasil e à Circunscrição Policial de Ubatã, para que tomem ciência dos termos da decisão. Ainda no despacho, Rosa solicita a apuração pelos órgãos competentes da conduta e eventuais responsabilidades dos Bacharéis Bruno Adry, Sanzo Biondi e Plínio Adry. Com o despacho desta quinta-feira, a vereadora Cássia Mascarenhas deve retornar ao comando do executivo e o município experimentará, pasmem, 14 trocas de gestores neste mandato.

* Ler Sentença

* Ver Matéria Relacionada

Redação Ubatã Notícias

15 respostas para “Ubatã: Desembargador torna nula decisão que retornou Neves e Cássia deve retornar”

  • SR. LUNGA says:

    SÓ QUERO VER ONDE VAI PARAR ESSA PALHAÇADA. OS RATOS SE DEGLADIAM, NA ESPERA DE QUEM REALMENTE VAI FICAR COM AS MIGALHAS (MILHÕES EM REAIS) E A FARRA DE LIMINARES NÃO PARA. A POPULAÇÃO FICAR COMO ESPECTADORA, DE BRAÇOS CRUZADOS SÓ ASSISTINDO À TUDO IMPOTENTEMENTE. JÁ PASSOU A HORA DO POVO IR ÀS RUAS, LUTAR PELOS SEUS DIREITOS, NÃO DIGO SÓ QUEIMAR PNEUS, PINTAR AS CARAS, MUITO MENOS AMONTOAR LIXO NAS RUAS. É PRECISO UMA PRESSÃO MAIOR, ELES PRECISAM SABER QUE O POVO TAMBÉM NÃO TÁ DE BRINCADEIRA. VAMOS PRA CIMA COM TUDO.

  • Thiago Costa Fernandes says:

    Eu ouço muitas pessoas dizendo que sentem “vergonha de ser ubatense”. Eu ouço muitas pessoas dizendo que esta é “a pior fase da história desta cidade”. Eu ouço muitas pessoas dizendo que “a culpa é do povo”.

    Demagogia, hipocrisia e falsa honestidade à parte, que nem merecem comentários (acusar um criminoso de ser criminoso é redundante), eu discordo do que ouço essas muitas pessoas dizendo.

    E estou ciente das reclamações legítimas dos comerciantes, fornecedores e funcionários e empregados do município (é preciso receber o pagamento para continuar a viver). Ainda assim, discordo do que ouço.

    Primeiro, discordo que “a culpa é do povo”. Como disse certa vez o ex-presidente Lula: “Que chance tem esse bando de fodido de ter consciência? Eles mal conseguem sobreviver!”. – Até peço desculpas pelo “fodido”, se isso desagrada aos melindrosos, mas Lula referia-se, claro, à falta de educação, saúde e dinheiro. – Quem está tentando sobreviver, não tem tempo para pensar. Pelo menos, não de pensar “pra valer”. Precisa mesmo de festa, álcool, drogas, rebeldia, fofocas, boatos, novelas, arrocha, violência e fé (muita fé) para suportar o dia-a-dia tenebroso resumido a trabalho e necessidades.

    No filme “Ó paí, ó”, isso é bem descrito no grito: “Dê passagem à alegria nem que seja por um dia”.

    Segundo, discordo que seja “a pior fase da história desta cidade”. Discordo por dois motivos:
    1- Estamos vivendo uma fase da história de Ubatã que começou, mais ou menos, em 1988 (alguém lembra?). Cenário que deu espaço político para a grande aprovação de Edson Neves. Talvez esta fase esteja chegando ao fim agora que a votação dele mostrou-se inexpressiva e a única estratégia que ele tem seja a de usar ardis jurídicos. Ele, como tantos outros, aproveita as falhas (humanas) inerentes ao Direito e às leis para desnortear seus “inimigos” políticos tanto quanto para atacar nossos direitos sociais.
    2- Vejo nesta “bagunça”, legada por Agilson Muniz e seus secretários, uma oportunidade para a população “esclarecida” de Ubatã rever prioridades, pois, se a democracia é, sim, a disputa pelo poder político-social-econômico, também é verdade que há limites para o quanto é possível “pegar de água em um poço antes que ele seque”. E, se continuarmos depredando os recursos, eles, simplesmente, esgotarão. Para todos nós – até para os “esclarecidos”.

    Por último, discordo desse sentimento de “vergonha de ser ubatense”. O povo de Ubatã é vítima, apenas vítima, de um sistema político imperfeito.
    É possível me acusar de “vitimismo”, mas escrevi, ali em cima, que o povo não tem consciência política, pois está muito ocupado sobrevivendo. Também escrevi que democracia é disputa por poder e que temos, aqui e agora, uma oportunidade de amadurecer tal disputa na cidade, minimizando a depredação de nossas vidas (antes que a “água” acabe).

    Eu acredito que quem deveria (de-ve-ria) sentir vergonha (mas não sente) são as pessoas que protagonizaram esta “epopéia trágica” entre 1988 e agora. Todos os prefeitos, vereadores, advogados, gerentes bancários, juízes, desembargadores e secretários de pastas que trouxeram tantas mazelas e desgraças para esta cidade. Eles deveriam envergonhar-se de suas intenções malignas, irresponsáveis e mesquinhas.

    Eu adoraria listar todos os nomes neste espaço, mas o site não pode publicar isso.
    De minha parte, gostaria muito de apontar para os criminosos, assassinos, covardes e corruptos que nos trouxeram até o atual cenário. Gostaria de ser processado por calúnia e difamação por escrever a verdade sobre todos eles. E, quando eu fosse obrigado a me retratar, diria:

    – Desculpem, senhoras e senhores! Eu achei que fosse tudo culpa de suas inteligências mal-direcionadas, mas, agora entendi, que, na verdade, vocês são todos estúpidos, ineptos e incompetentes. A situação da minha cidade não se deve à corrupção e crimes de prefeitos, vereadores, advogados, gerentes bancários, juízes, desembargadores e secretários de pastas. É tudo burrice e incompetência mesmo.

  • Redação says:

    Sem dúvida alguma, o comentário mais lúcido e brilhante já postado no Ubatã Notícias nesses quase dois anos de existência. Sensacional!

  • Torpedo says:

    Incrível essa senhora conseguiu a façanha do povo preferir o Monstro das Neves…….

  • SR. LUNGA says:

    CARO THIAGO, TEXTO DIGNO DE APLAUSOS, ARNALDO JABOR, TALVEZ NÃO CONSEGUISSE EXPRESSAR COM TANTA ELOQUENCIA, O SOFRIMENTO DA QUERIDA UBATÃ. TENHO CERTZA QUE MEU AMIGO AILTON QUEIROZ, ESTÁ MUITO ORGULHOSO DE VOCÊ.

  • alberto says:

    botou pocado Tiago,
    essa é a verdade nua e crua……….

  • Maior says:

    Enquanto o povo continuar a vender seu voto, o nosso município vai continuar infinitamente nessa situação. Para mim alguns eleitores são mais corruptos que os políticos de Ubatã, pois torna-os corruptos quando os mesmos vendem seu voto por algo insignificante. É como Esaú que vendeu sua primogenitura por um prato de guisado e perdeu a chance de ser o patriarca da sua família. Eu acho que precisamos urgentemente de uma reforma político-eleitoral ou a coisa vai continuar assim pelo resto de nossas vidas e das gerações vindouras. Mas isto é fato desde os primórdios do homem civilizado. É a classe inferior sempre na defensiva.

  • Silva says:

    Samy, o texto de Thiago deveria ser postado no Fala Internauta!Está excelente! Abraços!

  • Victor says:

    Rapaz o povo e a imprensa tem memoria curta… Esse Dr. Bruno Adry foi o “devogado” de Prefeito Agilson Muniz… E EDSON NEVES ganhou dele pelas peças fracas… Agora novamnete Edson é favorecido por esse BRUNO ADRY… Onde está a OAB???

  • reginaldo tavares says:

    Infelizmente nessa cidade vivem muitos oportunistas que pra apoiar o sr èdson Neves devem obviamente ter se beneficiado de algo, pois é inadmissível o que está acontecendo em Ubatã, no inicio do ano quando se comentava que ele iria realizar a micrareta pois segundo o maionese era o desejo de milhares de Ubatenses fiz vários comentários argumentando que era de uma irresponsabilidade sem tamanho por parte do prefeito gastar uma dinherama e com vários segmentos sem receber(comerciantes, proprietários de imóveis e os funcionários públicos) mas a insensatez desse ditador que faz o que ele acha o que deve fazer e o povo aceitou com toda complacência,e as consequências são os descasos que estamos vivenciando.
    Nessen troca-troca de prefeito ou nesse revezamento os recursos da prefeitura que já são poucos desaparacem como um piscar de olhos, uns falam em 500 mil e por aí vai.Tudo isso é lamentável.
    Espero que a nova prefeita ao assumir em janeiro dê prioridade de imediato ao pagamento dos salários atrasados daqueles que não podem mais esperar por esses descasos.

  • justiça says:

    “Todos os prefeitos, vereadores, advogados, gerentes bancários, juízes, desembargadores e secretários de pastas que trouxeram tantas mazelas e desgraças para esta cidade. Eles deveriam envergonhar-se de suas intenções malignas, irresponsáveis e mesquinhas.”

  • Victor says:

    Qual a semelhança entre Agilson Muniz e Cassia Mascarenhas???

    Ambos perderam na Justiça para Edson Neves com uma “ajudinha” do BRUNO ADRY.

  • Roberto Miranda says:

    Excelente comentário do Thiago,concordo plenamente com sua opinião.

    Samy coloca no Fala Internauta!

  • Inconformada says:

    LAMENTAVEL A SITUAÇÃO DA NOSSA QUERIDA CIDADE. QUEM AQUI NASCEU E RESIDE ASSIM COMO EU ASSISTI COM PESAR A UMA PEÇA TEATRAL DE TERROR, CUJO O ESPETACULO É PROTAGONIZADO POR PESSOAS QUE DIZEM AMAR E SER FILHO DE UBATA. NÓS O POVO, PADECE PELO DESCASO. QUE AS CORTINAS SE FECHEM PARA ESTES OPORTUNISTAS E QUE QUALQUER PRETENCAO POLITICA DELES, SEJAM VEDADAS PELO PODER DO VOTO, DIREITO ESTE, QUE DE NÓS NINGUEM TIRA.

Deixe uma resposta para Redação