Macarrão e Bruno eram considerados grandes amigos

Da Folha

O réu Luiz Henrique Romão, o Macarrão, responsabilizou o goleiro Bruno Souza pelo desaparecimento de Eliza Samudio em depoimento na madrugada desta quinta-feira (22) no Tribunal do Júri de Contagem (região metropolitana de Belo Horizonte). O acusado foi interrogado por mais de cinco horas. O júri será retomado às 13h30, com o interrogatório da ré Fernanda de Castro, ex-amante de Bruno.

Segundo Macarrão, em 10 de junho de 2010, Bruno pediu para que ele levasse a vítima do sítio em Esmeraldas (MG) para um ponto em frente à Toca da Raposa, centro de treinamento do Cruzeiro na Pampulha, em Belo Horizonte. Lá, uma pessoa estaria esperando por Eliza para matá-la. O réu afirmou sentir um “clima estranho” quando Bruno lhe pediu para que levasse Eliza, em sua Ecosport. “Eu disse ‘cara, me conta que o tá acontecendo’”, relata Macarrão. “”Qualquer coisa que acontecer todo mundo vai me culpar”, teria afirmado ao amigo.

Segundo Macarrão, Bruno respondeu, batendo no peito. “Larga de ser bundão, é comigo. Aqui é o Bruno”. O acusado diz que tentou argumentar, mas Bruno não o ouviu. “Eu disse: ‘não nasci para isso, não’”. Na sequência, ele teria aceitado levar Eliza por ser subordinado a Bruno.