Audiência
Ubatã FM
Publicidade






Da Série Desafios 2013: Infraestrutura do município sucateada e ruas esburacadas

Prédios públicos sucateados e ruas esburacadas (Foto: Ubatã Notícias)

Um dos desafios da próxima gestão, que começa em 1ª de janeiro, é, sem dúvida, reconstruir e tentar ampliar a infraestrutura do município, atualmente restrita a alguns poucos prédios públicos. Rodoviária, Estádio Municipal, Ginásio de Esportes, Mercado Municipal e Maternidade sucateados, ruas esburacadas e uma grande quantidade de prédios alugados dão a tônica do problema.

Conta-se nos dedos a quantidade de prédios públicos do município, e os que pertencem à Prefeitura, poucos deles estão em boas condições de uso. O problema é ainda maior nas escolas da rede municipal de educação, cuja maioria das escolas são alugadas e não reúnem condições ideais para receber os alunos.

“Nada ou muito pouco se construiu no município nos últimos 15 anos. O resultado disso é prédios públicos sucateados, ruas esburacadas e pouca infraestrutura da rede pública. O objetivo de recuperar [a infraestrutura] do município é enorme e será preciso conter os gastos da máquina pública”, disse um experiente político ubatense. Como o município certamente não terá dinheiro em caixa para investimentos, a saída poderá ser por meio de emendas parlamentares.

Confira Série 1 e 2

Redação Ubatã Notícias

3 respostas para “Da Série Desafios 2013: Infraestrutura do município sucateada e ruas esburacadas”

  • reginaldo tavares says:

    A prefeita deve saber que terá muitos problemas pra enfrentar o que não pode é depois achar que não sabia dos existentes e colocar desculpas nos gestores passados.

  • rosenilton says:

    Tem diversos meios de iniciar uma recuperação; antes de qualquer atividade deve inventariar, dados, condições, relatorios condições estruturais e principalmente qual a função que cada predio pode ter dentro da gestão e sua finalidade, para depois começar a pensar em orçamentos de reforma ou reconstrução, não adianta consertar o que não não servirá a população num primeiro momento.
    Rosenilton

  • MANOEL MESSIAS SANTOS says:

    Acredito que Simeia e Expedito a partir de Janeiro de 2013 estarão prontos para enfrentar todos esses desafios. Tem que cortar despesas e colocar para trabalhar aqueles que está há anos de braços cruzados, sugando o dinheiro público. Garis concursados exercendo outras atividades na administração terão que exercer função de garis. Funcionários fantasmas vão ser retirados da folha de pagamentos sumariamente. Quem trabalhar vai receber seus salários em dias. Os desafios são enormes por conta de gestores irresponsáveis nestes últimos 20 anos que sucatearem toda infra-estrutura de nossa cidade.

Deixe seu comentário