Prezado Redator,

Na matéria intitulada “Ibirataia: TCM determina que gestor devolva..”, foram colocadas informações que não condizem com a verdade. O Atual Prefeito Jorge Fair (DEM) não pode ser responsabilizado por irregularidades que aconteceram na Prefeitura de Ibirataia, nos anos de 2003 e 2004, como foi afirmado na matéria, pois nesse período, o Prefeito do Município era Júlio Cesar Leal (PMDB).

Frisamos que durante a Gestão de Fair, as contas referentes ao exercício financeiro dos anos de 2005, 2006, 2007, 2008 e 2009 foram todas aprovadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia. Nos anos de 2010 e 2011, as contas foram rejeitadas devido a erros técnicos.

Com a diminuição na arrecadação da Prefeitura, isso ocasionado pela diminuição do número de habitantes no censo do IBGE, tivemos uma grande dificuldade para efetuar os pagamentos dos Fornecedores e dos Servidores Municipais. Apesar da situação complicada, conseguimos honrar os nossos compromissos.

Nas contas do exercício de 2010 e 2011, a rejeição aconteceu crucialmente pelo não cumprimento do índice de gastos com o pessoal. O Prefeito Jorge Fair (DEM) foi informado pela Secretaria de Finanças sobre o problema, no entanto, preferiu ser punido, ao invés de demitir inúmeras pessoas. Para resolver a problemática do gasto excessivo, até os Servidores Concursados teriam que ser demitidos. “O Comércio de Ibirataia é pequeno, e não tem a capacidade de absorver a demanda de emprego do Município. A Prefeitura emprega muitas pessoas, e isso, favorece o crescimento socioeconômico do município.”, afirmou Fair.

Informamos-lhes que o Prefeito Jorge Fair já entrou com o pedido de reconsideração das contas, e está aguardando a nova decisão do Tribunal. 

Atenciosamente,
Secretaria de Governo

Departamento de Comunicação Social

NOTA DO UBATÃ NOTÍCIAS

As informações disponíveis na matéria “Ibirataia: TCM determina que gestor devolva mais de R$ 500 mil” consta no Relatório do Tribunal que rejeitou as contas do prefeito Jorge Fair. Assim, o portal escreveu a matéria com base em dados fornecidos pelo próprio TCM. Para ter acesso ao parecer, clique aqui!