Foto: Reprodução/The Sun

Foto: Reprodução/The Sun

Uma mulher de 33 anos foi condenada à prisão perpétua no Reino Unido por espancar até a morte o filho de sete anos. De acordo com reportagem publicada, nesta segunda-feira (7), pelo tabloide The Sun, o motivo do crime foi a ineficiência do garoto em memorizar algumas passagens do Alcorão, livro sagrado do Islã. Segundo promotores, Sara Ege tentou esconder o crime queimando o corpo do menino Yaseen, com a alegação de que ele havia morrido em um incêndio em sua casa. No entanto, exames mostraram que inúmeras lesões internas causaram a morte da criança antes das queimaduras. Sara chegou a confessar o crime para a polícia, mas voltou atrás em seu julgamento e começou a culpar o marido, Yousef Ege, pela morte do filho. No entanto, investigadores constataram que ele não teve envolvimento no assassinato. Ao ouvir a sentença, a acusada passou mal e teve que ser acudida na Corte, segundo o diário. Se ela tiver bom comportamento, sua pena pode ser abrandada, mas não chegará a menos que 17 anos, de acordo com a decisão do tribunal. O crime aconteceu em julho de 2010. Antes do início do julgamento, Sara teve que passar vários meses em uma unidade psiquiátrica até ser liberada pelos médicos. Informações do Bahia Notícias.