Audiência
Ubatã FM
Publicidade






Ubatã: Reunião define instalação de padrões individuais de energia no Mercado Municipal

Reunião teve presença de prefeita, vice e vereador (Foto: Valdir Santos)

Reunião teve presença de prefeita, vice e vereador (Foto: Valdir Santos)

A prefeita Siméia Queiroz (PSB), o vice-prefeito Wesley Faustino (PDT), juntamente com o vereador Carlinhos Diplomata (PR), participaram de uma reunião, na tarde desta quinta-feira (10), com os proprietários de boxes do Mercado Municipal, cujo contas de energia e água são pagas, atualmente, pela Prefeitura Municipal.

Na reunião foi anunciada que a Prefeitura Municipal colocará padrões individuais nos boxes do Mercado e os proprietários serão os responsáveis pelo pagamento das contas. “Vamos qualificar o espaço. O objetivo não é perseguir ninguém, pelo contrário, é melhorar a infraestrutura do ambiente”, disse a prefeita Siméia.

Já Wesley Faustino destacou que o projeto para implantação dos padrões individuais já está pronto, mas um engenheiro da Coelba visitará o Mercado Municipal ainda em janeiro para fazer um  mapeamento mais preciso da área. Ainda de acordo com Faustino, a expectativa é que a obra seja realizada até março deste ano.

COMERCIANTES APROVAM INICIATIVA DA PREFEITURA

Segundo informações do executivo municipal, a energia do Mercado Municipal custa, mensalmente, cerca de R$ 16mil reais aos cofres públicos. Apesar de atualmente usarem a energia do mercado sem qualquer ônus, os proprietários de boxes receberam a notícia com tranquilidade. “É mais justo e cada um será responsável por pagar suas contas. Teremos ainda a garantia de ter o serviço de energia sempre que precisarmos”, disse um dos proprietários. A obra de instalação dos padrões individuais será custeada pela Prefeitura Municipal.

Ascom PMU

4 respostas para “Ubatã: Reunião define instalação de padrões individuais de energia no Mercado Municipal”

  • Prof. Johan says:

    Isso é um posicionamento tardio. infelizmente

  • MARLON BERTES says:

    A mudança realmente está sendo feita. Fico feliz por ver pessoas comprometidas com o bem público.

  • Bel. Almir Vinhas says:

    …Deverasmente tardio.

    A gente tem batido nisso desde 2010, quando Edson Neves deixou cortar pela 1ª a energia desse Mercadão por ausência de pagamento, porque aquele espaço não é propriedade privada dos seus usuários, uma vez que se trata de PATRIMONIO PÚBLICO e, portanto, é uma concessão pública.

    Primeiro, tem que haver a reestruturação geral do Mercadão, pois, no estado em que atualmente se encontra, uma pocilga caracteriza-se com mais limpa. Necessário se faz reformar o Mercadão e toda aquela área que abriga a Feira Livre;

    Segundo, promover a licitação para a concessão dos BOXES já com os padrões de Energia e Água em nome daqueles que vencerem a concorrência;

    Depois, concomitantemente ao segundo item, definir o PREÇO PÚBLICO que cada concessionário irá pagar para explorar o Patrimônio Público.

    Vejamos o que diz o Dr. Rodrigo Abou Id Dabés,
    (Diretor Executivo do Instituto Nacional de Defesa do Contribuinte e do Cidadão, Professor de Direito Tributário dos Cursos Pró-Labore), sobre PREÇO PÚBLICO:
    “O preço público é vinculado a um serviço público que, em regra, será delegado ao particular (concessionário) através de contrato. Podemos dizer, também, que preço público (ou tarifa) é receita originária, pois provém da exploração do patrimônio público ou até do desempenho de atividades comerciais, financeiras ou industriais, com arrimo no artigo 173, Carta da República”.

    O que não poderá é ser gratuito.

  • rosenilton says:

    Bom inicio de conversa. Mais com certeza o poder publico tambem pode revitalizar a area, em troca a participação dos concessionarios na formação de uma associação pode beneficiar todos, tornar-los mais forte, unidos podem mudar este quadro. Uma representação democratica.
    Parabens pela foto. Uma autentica reunião participativa.

    Rosenilton Muniz – Eletrotecnico

Deixe seu comentário