Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

A Polícia Civil gaúcha confirmou nesta segunda-feira (11) que a boate Kiss recebeu mais de mil pessoas na noite do incêndio que matou 241 pessoas em Santa Maria, enquanto o alvará da prefeitura autorizava apenas 691 frequentadores no local. De acordo com o delegado Marcos Vianna, a conclusão está baseada na checagem do número de mortos, da quantidade de pessoas atendidas em estabelecimentos de saúde, das pessoas que compareceram espontaneamente para depor e do número de pessoas que deixaram depoimentos em um site criado para este fim. Segundo os dados, 50 pessoas saíram da boate antes do incêndio. Além dos mortos, foram contabilizados 420 depoimentos de vítimas que não foram atendidas em hospitais e de outros 400 feridos que receberam atendimento médico. “Conferimos nome a nome de forma exaustiva. Não há possibilidade de contestar os dados auditados pela polícia”, disse Vianna. Os sócios da boate afirmaram, em depoimento à polícia, que havia cerca de 700 pessoas no local no momento do incêndio. A comprovação de que o estabelecimento estava superlotado reforça a tese de homicídio doloso qualificado, que deverá constar do indiciamento dos suspeitos. A perícia no teto da danceteria deve ser concluída nesta quarta-feira e o inquérito policial nesta sexta (15). Informações do UOL.