Quem pagava os R$ 50,00 tinha prioridade no atendimento

Quem pagava os R$ 50,00 tinha prioridade no atendimento

Uma grávida realizou uma nova denúncia contra o médico do SUS que é suspeito de cobrar para antecipar as consultas de pacientes na Santa Casa de Misericórdia de Ilhéus. Nesta quarta-feira (27), uma gestante de nove meses, que não quis se identificar, denuncia que o médico obstetra Paulo Roberto Bitencourt cobrou dinheiro por uma cirurgia de laqueadura feita pelo SUS. “Conversei com ele, que queria laqueadura, porque já iria ser o quarto [bebê] e ele me disse que cobraria uma taxinha de R$ 400″, afirmou. O obstetra também foi alvo da denúncia por parte do marido de outra grávida, que esperava pelo atendimento por cerca de três horas. Na terça-feira (26), o médico preferiu não dar entrevista. Sem saber que a câmera estava ligada, o obstreta confessou a prática. “Não é que esteja cobrando. Não chego aqui e cobro. É o doente que vai lá e paga para ser atendido. Quando chego, a taxa já está aqui”, diz. Questionado sobre o destino do dinheiro, ele afirmou: “Essa taxa fica comigo”. Segundo ele, o dinheiro não impossibilita que gestantes que não pagam deixem de receber o atendimento. Leia mais no G1.