A seca afeta 5 milhões de nordestinos.
Divulgar a situação da seca no Nordeste e pedir a desburocratização, ações emergenciais e estruturantes, em parceria com os municípios, para que estes passem de meros expectadores a agentes ativos foram os principais objetivos da carta entregue pela presidenta da União dos Municípios da Bahia (UPB), Maria Quitéria, juntamente com outros presidentes de associações municipalistas do Nordeste, às ministras de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e da Casa Civil, Gleisi Hoffmann. Antes da entrega, Quitéria participou de uma audiência com o presidente do Senado, Renan Calheiros, e com o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves, por volta das 15 horas de ontem. De acordo com trecho da carta, “os presidentes das entidades pedem a desburocratização, ações emergenciais e estruturantes, em parceria com os municípios, para que estes passem de meros expectadores a agentes ativos desse processo e possam devolver ao Nordeste e à sua brava gente opções de vida, trabalho e a oportunidade de contribuir com o desenvolvimento da Nação”. A presidenta da UPB ressaltou a importância dos encontros para a luta contra os efeitos da seca. (Tribuna da Bahia).