Foto: Eliza Fiúza/Agência Brasil

Foto: Eliza Fiúza/Agência Brasil

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, já se manifestou contra a aprovação do projeto de decreto conhecido como “cura gay” pela Comissão de Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados nesta terça-feira (18). A titular denomina a proposta, que ainda segue para o colegiado de Constituição e Justiça, como “absurdo” e “retrocesso”. À frente da pasta que cuida da aplicação de ações a favor dos direitos humanos no país, ela afirma que o movimento que culminou na aprovação da matéria está na contramão da atual mobilização do país. “Apelo aos parlamentares que rejeitem essa proposta nas demais comissões”, pediu Rosário, em sua conta no Twitter. “O que o Brasil precisa é de leis que criminalizem a homofobia e ampliem direitos da população LGBT”, defendeu. O projeto de decreto foi aprovado com apoio do presidente da comissão, pastor Marco Feliciano (PSC-SP) e pode alterar uma resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que proíbe psicólogos de atuarem para mudar a orientação sexual de pacientes e considerar a homossexualidade como doença. (Bahia Notícias)