(Bocão News)

(Bocão News)

Há quem diga que o 2 de Julho deste ano foi mais um momento para celebrar a Independência da Bahia – cuja história já marca os 190 anos -, mas há quem comprove que durante o cortejo a força das manifestações e a ação popular tenha transformado o cenário em um verdadeiro campo de reivindicações e revolta.

Ainda na saída do cortejo, na Lapinha, o secretário de Saúde do Estado da Bahia, Jorge Solla, foi supreedido por um empurra-empurra e, o próprio secretário confirmou que levou um tapa na cara. Solla teria se misturado a um grupo que fazia coro contrário ao prefeito ACM Neto (DEM) e acabou sofrendo a agressão. O suposto agressor não foi identificado.

Porém, o mais comentado por opositores e aliados foram os ecos das vaias que aumentavam à medida que Wagner tentava, discretamente, acenar para o público. Aliás, ninguém escapou do povo. Foi petista, democrata, simpatizantes e protetores. Em cada esquina, uma faixa. Em cada casa, um pedido por Educação, por Saúde, por Segurança, por ‘Passe Livre’. Sindicatos estavam aos mil e deixaram o recado na Avenida. (Bocão News)