Empresa é suspeita de pirâmide financeira

Empresa é suspeita de pirâmide financeira

O Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) voltou a rejeitar o recurso que pretendia a retomada das atividades da empresa TelexFree. O caso foi analisado nesta segunda-feira (29) pela 2ª Câmara Cível, mas a decisão foi divulgada apenas nesta terça (30). O funcionamento da TelexFree foi suspenso em junho após suspeita de prática de pirâmide financeira, proibida pela legislação brasileira. Segundo informações da Agência Brasil, no recurso ao TJ-AC, a empresa alegava que a decisão tomada pela Corte no dia 8 de julho precisava ser reformada por violar questões técnicas. O colegiado entendeu, no entanto, que não havia erros a serem corrigidos, e sim inconformismo com o resultado do julgamento. O modelo de pirâmide financeira se mantém por meio do recrutamento progressivo de pessoas, até chegar a níveis que tornam o retorno financeiro insustentável. Após intervenção do Judiciário acreano, interessados no desfecho do processo que envolve a TelexFree chegaram a recorrer ao Superior Tribunal de Justiça e ao Supremo Tribunal Federal, mas todos os recursos foram negados. (Bahia Notícias)